Família Boaretto

 

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente informou que irá fechar mais 10 parques (veja todos abaixo) em São Paulo a partir desta quinta-feira (28), após a confirmação de 10 macacos mortos por febre amarela em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

 

FEBRE AMARELA: VEJA PERGUNTAS E RESPOSTAS

Não há casos de febre amarela em humanos na cidade de São Paulo. O fechamento dos parques, localizados nas zonas Sul e Oeste da cidade, são uma medida de precaução, informou a pasta. Os espaços serão fechados por tempo indeterminado.

A secretaria recomenda ainda que não se utilize as dependências dos parques Linear Parelheiros, Feitiço da Vila, Sapé e do Juliana de Carvalho Torres (COHAB Raposo Tavares). Os parques lineares não possuem delimitação física, e por isso é feita a recomendação de não visitação.

Desde outubro, São Paulo já tinha 15 parques fechados para a prevenção da doença, todos na Zona Norte. Agora, a cidade terá 25 parques fechados.

A vacinação também será intensificada. Na Zona Sul, a ação preventiva tem como foco os distritos de Jardim Ângela, Parelheiros, Marsilac e parte do Capão Redondo (apenas na área de abrangência da UBS Luar do Sertão), devido à proximidade com o município de Itapecerica da Serra.

Na Zona Oeste, a prefeitura incluiu o distrito administrativo de Raposo Tavares na campanha de vacinação contra a febre amarela.

Macaco não transmite doença para humanos

Assim como as pessoas, os primatas são vítimas dos mosquitos Haemagogus e Sabethes, encontrados na zona de mata e que costumam circular em copas de árvores, local de repouso preferido dos primatas. Quando eles são infectados e chegam a morrer, isso indica que existe a circulação do vírus no local, mas eles não podem transmitir a doença para humanos.